Blog do Jeferson Almeida

Editorial: A política e a vergonha do prefeito Adonias em Boa Nova

A política é uma verdadeira dinâmica que frequentemente nos surpreende com reviravoltas inesperadas, alianças e rivalidades. No município de Boa Nova, a atual gestão liderada pelo prefeito Adonias Rocha teve a oportunidade de apoiar um candidato para o governo da Bahia, e, em uma reviravolta que não poderia ser mais surpreendente, viu o seu escolhido, ACM Neto, ser derrotado por Jerônimo Rodrigues, apoiado por Lucas de Aete, líder da oposição no município.

A situação em Boa Nova tornou-se embaraçosa devido à maneira como o prefeito Adonias escolheu reagir, visando às eleições de 2024. O prefeito parece estar empenhado em uma teimosia política. Inicialmente, Adonias havia escolhido o vereador Thiago Andrade como seu pré-candidato para a sucessão municipal, uma decisão que gerou expectativas e incertezas entre a população. No entanto, surpreendentemente, o prefeito desfez esse acordo e optou por nomear Dr. Antônio Andrade como seu novo escolhido, acreditando que essa decisão o aproximaria do governador Jerônimo Rodrigues, o que não tem dado certo, de acordo com os acontecimentos recentes.

Jerônimo Rodrigues, em seus discursos, tem sido claro sobre sua intenção de trabalhar em parceria com Lucas de Aete, que desempenhou um papel significativo em sua campanha. Essa escolha é natural na política e demonstra apreço por quem lhe ofereceu apoio em um momento crucial.

A vergonha que Adonias tem passado com essa situação de, inclusive, tentar manipular a decisão dos eleitores para 2024, deve servir como um lembrete de que a política é sobre servir ao público e respeitar a vontade do povo, em vez de priorizar interesses pessoais ou partidários.

O que é mais preocupante nesse cenário é a falta de estabilidade e consistência nas decisões políticas. A mudança de pré-candidato criou um ambiente de incerteza e desconfiança, não apenas entre os eleitores, mas também dentro do próprio grupo do prefeito Adonias, e, ao que se comenta, essa falta de clareza e coesão na liderança, afastou até o vereador Thiago Andrade para o grupo de oposição.

É hora de refletir sobre a consequência dessa mudança na sucessão municipal e buscar uma abordagem que seja mais benéfica para Boa Nova e seu povo.